quinta-feira, 17 de dezembro de 2015

OUTROS CAIS

Seriam outros os tempos, outros cais. A Avenida do Mar ainda não tinha sido "rasgada". O jardim esse tinha a proteção do calhau contra as intempéries, enquanto os barcos de pesca dormiam sob o bazalto. As lanchas faziam corridas levando e trazendo turistas curiosos e tudo aparentava serenidade. Outros tempos, outros cais...  

terça-feira, 15 de dezembro de 2015

MAERSK E HAPAG DEIXAM LISBOA

Maior armador do mundo sai de Lisboa

Dinamarqueses da Maersk, seguiram Hapag-Lloyd, e fugiram da greve dos estivadores.
Maior armador do mundo sai de Lisboa
O grupo dinamarquês Maersk, maior armador mundial, comunicou aos clientes e parceiros que irá abandonar as operações no porto de Lisboa, apurou o Diário Económico. O motivo para a Maersk tomar esta decisão deve-se às perturbações causadas pela greve dos estivadores, em curso desde 14 de Novembro.

Esta é já a segunda baixa entre o clube dos maiores armadores mundiais que escalavam o porto da capital e que vão deixar ou já deixaram de o fazer, depois de a alemã Hapag-Lloyd, integrada no ‘top ten’ do sector, ter trocado o porto de Lisboa pelo de Leixões enquanto durar a referida greve dos estivadores, como o Diário Económico avançou em primeira mão no dia 27 de Novembro.

Tal como à escala global, a influência da Maersk na movimentação de contentores e outras mercadorias no porto de Lisboa é determinante, pelo que esta decisão, juntamente com a da Hapag-Lloyd, trará efeitos negativos na movimentação de cargas do porto da capital durante o ano em curso e provavelmente também em 2016. 

Recorde-se que o grupo onde a Maersk está integrada, a A. P. Moeller, é um dos potenciais investidores no projecto para o terminal de contentores do porto de Lisboa, que o anterior governo apontou para o Barreiro. Uma intenção que poderá estar em risco após este abandono do porto de Lisboa devido à greve dos estivadores e que terá de ser solucionada pela nova ministra do Mar, Ana Paula Vitorino, com a tutela dos portos, em articulação com Pedro Marques, ministro do Planeamento e das Infraestruturas.

“Os armadores já não estão para se sujeitar a um porto que não deu no passado, não dá no presente, e também não se vislumbra querer dar no futuro, garantias e vontade de ter estabilidade”, criticava, na passada sexta-feira, a Agepor – Associação dos Agentes de Navegação de Portugal, em comunicado.

A associação liderada por Belmar da Costa opunha-se contra o facto de que “os navios voltam a evitar Lisboa, rumando a outros portos, e prejudicando todos aqueles que vivem directa ou indirectamente da actividade do porto de Lisboa”. 

Contactado pelo Diário Económico, Belmar da Costa explicou que neste momento ainda é impossível quantificar os impactos destas decisões dos maiores armadores mundiais no que respeita a quebras de escalas e de cargas no porto de Lisboa.

Num comunicado sobre esta paralisação, o Sindicato dos Estivadores explica que esta greve foi convocada contra “a unilateral declaração patronal da caducidade do contrato colectivo em vigor”. Neste momento, a greve dos estivadores está marcada até 31 de Dezembro, mas podem surgir novos pré-avisos de greve já para 2016.
Diário Económico de 15/12/2015

terça-feira, 10 de novembro de 2015

A CATÁSTROFE DO LAKONIA 1963


Um novo livro sobre a tragédia do navio LAKONIA, foi editada pelo museu histórico de Bremerhaven.
São cerca de 200 páginas com fotos inéditas do acontecimento que tanto abalou a sociedade madeirense no Natal de 1963. Um documento a não perder com o custo de +-20€, escrito por 2 aficionados maritimos. O único senão é estar editado unicamente em lingua alemã.  

LAKONIA - modelo em cartão


Esta é uma versão em cartão do navio LAKONIA, lançado por uma empresa alemã, para os entusiastas e modelistas de navios.

quarta-feira, 28 de outubro de 2015

Auto estradas maritimas

Espanha e França assinam em 9 de Novembro o acordo para as ajudas à auto estrada maritima de Vigo 
Em duas semanas encerrar-se-ão dez anos de negociações. No próximo dia 9, serão assinados os contratos entre a França e Espanha que regularão as condições de funcionamento da conexão de alta frequência entre Vigo e Saint-Nazaire. "Esta é a única auto estrada maritima aprovada pela Europa em funcionamento" assinalou ontem Juan Riva, presidente da frota Suardíaz que explora o serviço. Disse-o diante os profissionais do sector que estiveram presente no Forum Galicia maritima sobre o transporte de curta distância (short sea shipping).
A auto estrada do mar é um serviço regular que une o porto de Vigo com Saint-Nazaire, em Nantes. O principal objectivo é de descongestionar as estradas de camiões que transportam mercadorias, com caracter écológico que a União Europeia incentiva com três milhões de euros e os paises afectados prevê-se chegem aos 24.
No mesmo dia da assinatura do convénio, Suardías porá a trabalhar os seus "dois modernos navios", o Suarvigo e o Bouzas. Ambos têm uma capacidade para embarcar 105 semi reboques, com três frequências semanais, embora se preveja uma ampliação para 4. 

terça-feira, 27 de outubro de 2015

quarta-feira, 21 de outubro de 2015

CAMBERRA E ASTOR

Bons tempos estes do navio Camberra da P&O e do navio Astor a fazerem as suas habituais escalas no porto do Funchal.

terça-feira, 20 de outubro de 2015

terça-feira, 25 de agosto de 2015

O COMANDANTE QUE GOSTAVA DE CARMINA BURANA

O COMANDANTE QUE GOSTAVA DE CARMINA BURANA


Eu estava de visita ao veleiro. A hora de fecho de visita já tinha terminado, embora teimosamente recusasse a abandonar aquele mar de leite em que o navio imóvel ao balanço das ondas, parecia adormecido. Só dei conta que estava alguém ao meu lado ao ser interrompido nas minhas divagações.
- Estão pregando aos peixinhos…? Disse-me do alto dos seus quase dois metros de estatura. Reconheci que o comandante estava inspirado e, rematei de imediato.
- Só Santo António tinha esse dom… - respondi! Mas por vezes os peixes ouvem-nos e compreendem-nos melhor do que entre os humanos.
Após uma ligeira troca de palavras, a sua curiosidade adensava-se e não resisti ao convite para descer ao salão. Lá dentro, sentada num cadeirão estava a sua mulher que me foi apresentada. Continuava imóvel e só o som da aparelhagem me devolveu à realidade.
Ouvia Carmina Burana, com o volume estremecendo o cavername da nave. Só quando o CD chegou ao fim e após os aplausos do público que parecia mesmo ali ao lado num qualquer camarote do Scala, me dirigiu a palavra. Então gosta de Carmina Burana? Confesso que ia dizer-lhe que preferia Nabucco e o coro dos escravos, de Verdi. Mas contive-me! O comandante esse andava radiante e como que hipnotizado, lançava no ar de novo o recomeço do disco tentando acompanhar as vozes que saiam das colunas. Fiquei sem me mexer, sentado, ouvindo Carmina Burana até ao fim. Sem pestanejar, sem bocejar, sem conseguir pregar aos peixinhos.            



sexta-feira, 7 de agosto de 2015

NAVIOS COM A COR DE LESSIEUX


O pintor francês ERNEST LOUIS LESSIEUX (1848-1925) pintou de tudo em doses verdadeiramente industriais. A sua fama e o seu estilo Art Nouveau deram-lhe fama e beleza nos seus trabalhos. Destaco os navios e temas maritimos editados em imensos postais de algumas companhias de navegação francesas, o seu fascínio pelo Oriente e pelas Antilhas.  

Sines vai receber o maior porta-contentores do mundo

Sines vai receber o maior porta-contentores do mundo
CRÉDITOS: DAVID GOLTZ

Dispõe de 395,4 metros de comprimento e tem capacidade para transportar 19.220 contentores de 20 pés de comprimento

Batizado este mês em Hamburgo, o meganavio porta-contentores MSC Zoe vai chegar a Sines esta terça-feira, sendo a primeira vez que este navio escala o porto alentejano, que é das poucas infraestruturas portuárias europeias que podem operar navios desta dimensão em qualquer altura do ano, sem limitações nas condições de acesso ao porto ou por insuficiente profundidade das águas.

Trata-se do maior porta-contentores do mundo, da mesma classe dos navios MSC Oscar e MSC Oliver, com capacidade para transportar 19.220 TEU (um TEU é a unidade padrão de comprimento dos contentores, correspondente a um contentor com 20 pés de comprimento).
O MSC Zoe tem 395,4 metros de comprimento e 59 metros de boca, e é o terceiro navio dos seis que integrarão a "Classe Oscar" da companhia MSC.
Do porto de Hamburgo, o MSC Zoe seguiu para Antuérpia, na Bélgica, e passa a assegurar o transporte entre o norte da Europa e a Ásia.
A MSC tem a tradição de batizar os seus navios porta-contentores com nomes femininos de familiares dos colaboradores da empresa, tendo havido apenas cinco exceções a esta prática, que foram os casos dos navios MSC Aniello, MSC Don Giovanni, MSC Diego, MSC Oscar e o MSC Oliver.
Estes novos navios gigantescos, da "Classe Oscar", têm vindo a ser batizados com os nomes dos netos do fundador, Gianluigi Aponte (Zoe é uma das suas netas).

Jornal Expresso 07/08/2015

quarta-feira, 29 de julho de 2015

NAVIOS COSTA CROCIERI - COM PROPULSÃO A GÁS NATURAL LIQUIDO




Os novos projetos da companhia italiana COSTA foram ontem revelados em Milão. Os Excellence, serão duas unidades com capacidade para acomodar 6600 passageiros, com propulsão a gás natural liquefeito.
Fotos Meretmarine


sexta-feira, 24 de julho de 2015

O SANTA MARIA E O VELHO GASOLINA

Imagem tirada na baia do Funchal (1961) a bordo de uma das lanchas que fazia o transbordo dos passageiros entre os navios e o cais da cidade.

quarta-feira, 1 de julho de 2015

PARA QUEM NÃO QUER, HÁ MUITO...



Para quem não quer há muito! É assim num país de ricos. O Governo dos Açores não quiz o navio ATLÂNTIDA. Vendido e revendido foi paras à empresa norueguesa de navegação HURTIGRUTEN e aí está a versão mais recente já com as cores da nova companhia. Que eu saiba não se queixam do navio navegar menos 1 ou 2 nós. 
Foto Mer et Marine  



































































































3
Article

sexta-feira, 26 de junho de 2015

O PORTO DO FUNCHAL EM 1961


O porto do Funchal na sua fase final de ampliação em 1961. Atracado, encontra-se o navio da Insulana CARVALHO ARAÚJO e na baía o veleiro DANMARK(?).

sexta-feira, 5 de junho de 2015

SHIP PENINSULAR - EMPRESA INSULANA DE NAVEGAÇÃO



A leiloeira CHRISTIE'S tem no seu último catálogo uma pintura do navio PENINSULAR da E.I.N. à venda. Trata-se de um óleo sobre tela do pintor Antonio Nicolo Gaspero Jacobsen (1850-1921) datado e assinado pelo autor em 1905. 

MARITIME ART EXPOSITION BY HANS BREEMAN


Op 18 juni opent Frits Loomeijer, directeur van het Maritiem Museum Rotterdam, de verkoopexpositie met schilderijen en aquarellen van de Rotterdamse haven.
Een thema dat goed past bij galerieWind. Samen met Irene Jacobs, conservator van het Maritiem Museum Rotterdam, heeft de galerie een selectie gemaakt uit het werk van vijf havenschilders.
Er worden schilderijen en aquarellen tentoongesteld van Hans Breeman, Ingrid Dingjan, Paul Kerrebijn, Ronald van Rikxoort en Janny Veninga. Zij lieten zich inspireren door onder meer containerschepen, havenkades en goederenoverslag. Dit heeft een boeiend beeld opgeleverd van de Rotterdamse haven. GalerieWind nodigt u van harte uit om de opening op 18 juni bij te wonen. Inloop vanaf 17.00 uur.


Op zondag 28 juni organiseert galerieWind in het kader van de havenexpositie een dagTussen Kunst en Kade. Een dag waarop u maritieme bezittingen kunt laten taxeren door een team van deskundigen. Dit naar voorbeeld van het televisieprogramma Tussen Kunst en Kitsch. Meer informatie over deze dag vindt u op de website www.galeriewind.nlonder: Aanmelden Tussen Kunst en Kade.

Prins Hendrikkade 123h–124a, 3071 kl Rotterdam
tel +31 10 233 1335 | web www.galeriewind.nl
openingstijden donderdag t/m zondag van 13.00 tot 18.00

sábado, 30 de maio de 2015

TORRE MARÍTIMA DE ALGÉS


A Torre Maritíma de Algés vista da praia ou o que resta de uma pequena faixa de areia suja abandonada pela a autarquia de Oeiras que agora está mais interessada em concertos rock e outras tretas.

VOLVO OCEAN RACE 2015



 





Volvo 2015







LISBON VOLVO RACE



A Volvo Race chegou esta quarta feira a Lisboa. Discretamente, alguns "curiosos" como eu, foram espreitar   a regate de 2015. Mas mais uma vez, saio frustrado com o aparato da organização. Confusão total, carros, demasiado staff, má sinalética muito ruído com uma speaker aos berros que não dá uma para a caixa. Parece mais uma mini feira popular com comida duvidosa de plástico e pouco interesse. Tirando o motivo que me levou a deslocar ao recinto, os belos veleiros (pena que sejam só 6 dos 7 iniciais). Parece que não se faz nesta terra que não seja tudo aos berros, com aeróbica pelo meio e corridas pedestres que só atrapalham os restantes peões. Quanto ao resto prefiro vê-los no Tejo a navegar..
.

quarta-feira, 20 de maio de 2015

NAVIO ATLÂNTIDA "REVENDIDO"

Navio Atlântida vendido pelo dobro do preço em oito meses

Mário Ferreira vai vender por 17 milhões de euros o navio que comprou ao Estado, em Setembro, por oito milhões.
Navio Atlântida vendido pelo dobro do preço em oito meses
O navio Atlântida, adquirido pelo empresário Mário Ferreira há oito meses, vai ser vendido a uma empresa de cruzeiros da Noruega, sabe o Diário Económico. O negócio que deve ficar concluído até ao final deste mês envolve o pagamento de perto de 17 milhões de euros, cerca do dobro do que a Douro Azul pagou ao Estado português em Setembro do ano passado. O navio foi comprado para o universo de Mário Ferreira, através de concurso público internacional.

Contactado, o empresário diz "não [fazer] comentários". Fontes próximas do processo garantiram ao Diário Económico que o "navio que até agora tem estado nos Estaleiros Navais de Viana do Castelo (ENVC) deverá viajar para a Noruega no final deste mês". Apesar do Atlântida precisar de sofrer alterações, devido às novas funções para as quais foi adquirido, essa reforma não irá passar pelos estaleiros de Viana do Castelo, como esteve inicialmente previsto. 

O grupo Douro Azul mostrou estar disponível para vender o navio Atlântida em Dezembro de 2014, cerca de quatro meses depois de o ter comprado. Na ocasião a empresa anunciou que os destinos prováveis para o ferry-boat seriam a Noruega, Antártida, costa oeste de África e Malta.

Em comunicado emitido nessa altura, Mário Ferreira anunciava que "resolveu dar um novo rumo à embarcação" depois de inúmeras solicitações de que foi alvo por parte de operadores internacionais. Ainda na mesma ocasião, a empresa anunciava que a "Douro Azul tem assim em carteira vários desafios e alternativas válidos para o Atlântida para operar em águas internacionais, seja numa operação típica de ferry, seja no apoio a plataformas petrolíferas".

O empresário considerava ainda que "perante as oportunidades que entretanto se colocaram" tinha chegado à conclusão "que não fazia sentido proceder a obras profundas de reconstrução, desvirtuando uma embarcação com tanta qualidade técnica e com tanta procura".

Recorde-se que Mário Ferreira adquiriu o navio para o reconverter em navio para cruzeiros de luxo - uma reconversão que teria um custo de seis milhões de euros e que iria ser efectuada nos estaleiros da West Sea, subconcessionária dos terrenos e infra-estruturas dos ENVC - com o propósito de o enviar para a Amazónia para fazer a travessia entre Manaus no Brasil e Iquitos no Peru, um projecto que o empresário está também a reformular e que já não vai passar por terras brasileiras, tal como o Diário Económico avançou na edição de ontem.

O Atlântida é uma embarcação de 98 metros de comprimento, com capacidade de transporte de 125 veículos ligeiros de passageiros e oito veículos pesados, podendo transportar 750 passageiros. O navio dispõe de 27 cabinas, algumas delas duplas e vários salões de apoio.

O ferry-boat, construído nos ENVC por encomenda do governo regional dos Açores, foi recusado em 2009 por não ter as condições técnicas adequadas para assegurar as ligações entre as ilhas do arquipélago.
ARTIGO: Diário Económico de 20/5/2015

quinta-feira, 26 de fevereiro de 2015

O PODER DA IMAGEM

Uma bela fotografia de um grupo de turistas a bordo do navio S.S. ALONRA, em Fevereiro de 1938. A IIª. Grande Guerra estava quase a "rebentar"... e com ela momentos de amargura e tristeza.